Leitores On Line no Brasil e Exterior em tempo Real.

Acessos ao Blog

Tradutor de Idiomas.

Google-Translate-ChineseGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to Spanish

Campartilhar Também é Evangelizar

23/09/14

Vírus EBOLA o praga mortal do Apocalipse.

Desde que foi detectada a epidemia do vírus Ebola no oeste da África no último mês, uma série de anúncios polêmicos foram feitos. Enquanto os governos dos países mais afetados diziam que estava “tudo sob controle”, a OMS (Organização Mundial da Saúde) publicou um comunicado declarando o Ebola “uma emergência de saúde pública de alcance mundial”.


Pediu ainda “uma resposta internacional coordenada para frear e fazer retroceder a propagação internacional do ebola”. O anúncio de que essa é a epidemia “mais importante e mais severa” em quatro décadas, causou pânico em vários países africanos. O temor é que o vírus se espalhe para outros continentes, tornando-se uma pandemia. Não há vacina conhecida nem tratamento específico no mercado para a febre hemorrágica gerada pelo ebola, que mata em poucos dias.
Mais de 100 importantes líderes cristãos da Libéria começaram a afirmar que “Deus lançou o vírus mortal Ebola como uma praga sobre o país para punir atos imorais que ocorrem aqui, como a homossexualidade”. O Conselho de Igrejas da Libéria convocou uma campanha de oração pelo país, pedindo que os liberianos se arrependam de seus pecados e peçam livramento a Deus.
Nos Estados Unidos, o radialista Rick Wiles, que comanda um polêmico programa cristão, declarou que se for confirmada a pandemia do Ebola, isso “poderia ser um instrumento de Deus para destruir todos que ele considera imorais”. Enfatizou ainda que epidemia “é outro nome para a praga” e que “poderia resolver os problemas da América como o ateísmo, a homossexualidade, a promiscuidade sexual, a pornografia e o aborto”.
Willes fez um apelo “Se o Ebola se tornar uma praga global, é melhor você ter certeza de que o sangue de Jesus está sobre sua vida. É melhor ter certeza que você foi marcado pelos anjos para que esteja protegido por Deus”.
Obviamente esse tipo de afirmação gera muitas críticas, mas ele não está sozinho. O pastor Augusto Perez, um influente evangelista entre a comunidade latina, acredita que isso pode ser um “sinal apocalíptico”, mas não a praga descrita em Apocalipse, que será muito pior.
Jennifer LeClaire, editora da revista Charisma, e que escreve sobre profecia, escreveu em sua coluna esta semana “Eu não acho que esta é a primeira taça do julgamento. Mas acredito que é hora de a igreja se levantar e parar de ‘brincar de igreja’ aos domingo. Acredito que é hora de santos cair de joelhos em intercessão pelos perdidos. Acredito que é preciso interpretar os sinais dos tempos e darmos a resposta adequada”.
Os sintomas do ebola são febre, dores musculares, na garganta e na cabeça. Em seguida surge náuseas, vômitos, diarreia, insuficiência hepática e renal. Por fim ocorrem hemorragias internas e externas. Seu diagnóstico é difícil, pois no início se assemelha a uma virose comum. O contágio ocorre por contato com secreções e outros fluidos corporais.
Estudiosos de profecias apontam para o quadro atual do mundo. Recentemente, fortes terremotos mataram centenas e deixaram milhares feridos na China. Aumenta o conflito entre nações, com os conflitos entre Rússia e Ucrânia, além da guerra Israel e Palestina. Na Síria e Iraque, cristãos estão morrendo diariamente por não rejeitarem a sua fé.
Oferecer uma resposta definitiva é sempre perigoso, até mesmo por que na década de 1980, quando o vírus da AIDS era considerado epidêmico também foi chamado de “praga do apocalipse”, especialmente por que no início o maior número de vítimas eram gays. Com informações de Before Its NewsIndependent eHuffington Post
Leia Mais

04/09/14

Facebook se tornou mais popular do que a Bíblia no meio Cristão.

Estatísticas sempre estão sujeitas a questionamento, em especial por que dependem muito da metodologia usada. Enquanto alguns países apreciam esse tipo de análise, outros não dão a ela o valor necessário.
Um levantamento publicado esta semana nos Estado Unidos mostra que a rede social Facebook chegou ao seu décimo aniversário com um bilhão de usuários registrados. Contudo, a Associated Press afirma que são 757 milhões de “usuários ativos”, ou seja, pessoas que realmente usam a rede. Cerca de 44 milhões desses usuários ativos são brasileiros.
Dados de uma pesquisa divulgada em 2013 mostram que pouco mais 40% dos americanos usam o Facebook diariamente. Em comparação, apenas 15% dos americanos leem a Bíblia diariamente, embora seja o livro mais lido dos EUA.
Um levantamento do Instituto Barna feita no ano passado indica que 26% dos cristãos leem suas Bíblias quatro ou mais vezes por semana.
De muitas maneiras algumas estatísticas aproximam o Brasil dos EUA. Enquanto a terra do tio Sam, onde a rede surgiu, ainda seja onde mais pessoas acessem o Facebook, o Brasil é o 3º no número de usuários (atrás da Índia), mas o segundo em acessos diários. Os internautas brasileiros passam 36% do seu tempo online nas redes sociais. O Facebook lidera, com o Youtube em segundo.
O Instituto Pró-livro, que avalia a intensidade, forma, motivação e condições de leitura da população brasileiradivulgou uma pesquisa em 2012, mostrando que nada menos que 90% das brasileiros afirmam possuir uma Bíblia em casa. As Escrituras ainda são o livro mais vendido e mais lido no país, mas apenas 16% afirmam que a leem diariamente.
O Brasil também disputa com os Estados Unidos o primeiro lugar na impressão de Bíblias. Os EUA durante muitos anos era o maior, perdendo o posto para o Brasil posteriormente. Atualmente, nosso pais produz uma Bíblia (ou Novo Testamento) a cada três segundos, em média. É bem verdade que, em números absolutos, a China é o maior produtor, mas sua venda não é liberada em solo chinês.
O Instituto LifeWay Research realizou um amplo estudo chamado “Discipulado Transformador”, que tinha como objetivo avaliar o crescimento espiritual das pessoas que frequentam a igreja evangélica.
A pesquisa constatou que 90% dos fiéis afirma que desejam “agradar e honrar a Jesus em tudo o que faço”, e 59% concordam com a declaração: “Durante o dia eu penso em algum momento sobre as verdades bíblicas.” No entanto, quando perguntado quantas vezes lê a Bíblia por iniciativa própria (não durante um culto):
tabela discipulado transformador Mesmo para cristãos, o Facebook é mais popular que a Bíblia
Levando em consideração todos esses números e o fato de que o brasileiro tem a maior média de permanência no Facebook do mundo, com 8 horas por mês, a conclusão é óbvia. Mesmo para os cristãos Facebook é mais popular que Bíblia.
Ao longo dos anos surgiram várias “redes sociais cristãs”, que se propunham, entre outras coisas, em aproximar as duas coisas. Algumas, inclusive, foram criadas por brasileiros, como a Wittle, a AnSocial ou a mais recente, Hizby. Por enquanto, nenhuma delas teve muito sucesso em ajudar os cristãos a equilibrar o tempo gasto na frente do computador e na frente da Bíblia.
Leia Mais

08/05/14

Cuidado com a Falsa adoração.



É bonito cantar “Acabe o show, restaura o louvor”. Mas os próprios adoradores-astros que dizem isso são os primeiros a incentivarem os shows, confundindo-os com os cultos a Deus.

Há algum tempo, fazíamos questão de distinguir culto de show. Hoje, graças aos tais adoradores-astros ou cantores-ídolos, empregamos um termo pelo outro com a maior naturalidade. No vídeo abaixo vemos um culto (culto?) evangélico (evangélico?), quer dizer, um show (show?) mundano (mundano?). Não sei exatamente como descrevê-lo. Vemos um palco, cantores e músicos agindo como astros, parafernália musical, plateia animada e irreverente, luzes coloridas, danças e alguém famoso andando como um animal quadrúpede...


Num outro vídeo, vemos um show (show?) mundano (mundano? Sei lá!). As características acima se repetem: palco, cantores e músicos agindo como astros, parafernália musical, platéia animada e irreverente, luzes coloridas, danças e alguém um pouco mais (quer dizer, bem mais) famoso andando como um animal quadrúpede..


Quase todos os elementos do culto (culto?), quer dizer show mundano (mundano?), estavam no show evangélico (evangélico?), quer dizer culto... Ih, agora não sei mais onde começa um e termina o outro! Meu Deus, onde isso vai parar?!

Há algum tempo, certo repórter de TV referiu-se a um culto (culto?) evangélico (evangélico?) da seguinte forma, enquanto o cinegrafista mostrava jovens vestidos exoticamente: “Você pensa que essa multidão veio assistir um show dos Guns’n’Roses? Não, eles vão participar de um culto evangélico!”

Que de fato acabe o show! Por quê? Porque culto a Deus significa adorar ao Senhor em espírito e em verdade, apresentando-se a Ele, e somente a Ele. E show denota receber glória dos homens, apresentando-se a uma plateia eufórica de fãs (como se vê na foto acima). Show significa dar às pessoas o que elas querem: a satisfação da carne. Culto significa dar a Deus o que lhe pertence: todo o louvor.
Leia Mais

15/04/14

Estudiosos cristãos de judeus apontam para tempos proféticos coincidindo com sinais nos céus (luas de sangue)

Especialistas em profecias apontam para “sinais inegáveis” no céu: luas de sangue



De tempo em tempos especialistas em profecias apontam para os sinais de cumprimento de alguma revelação bíblica. Os próximos dois anos serão marcados por diversos “sinais nos céus”, já conhecidos e previstos pela astronomia. Para eles, trata-se claramente da abertura de um dos selos descritos em Apocalipse 6.
O primeiro “alerta para a igreja” veio em 2008, quando o assunto foi levantado pelo pastor Mark Biltz, que é descendente de judeus. Ele afirmava ter feito uma descoberta surpreendente. Biltz estava estudando as profecias sobre o Sol e a Lua desde Gênesis, onde a Bíblia afirma que os luzeiros no céu serviriam “para sinais e para as estações do ano”.
“O termo em hebraico implica que não é apenas um sinal, mas um sinal da Sua vinda.” esclarece. Biltz diz ainda que a palavra traduzida como “estações” tem o sentido de “tempo determinado”, implicando na comemoração das festas estabelecidas por Deus no Antigo Testamento e que seguem o calendário lunar adotado pelos judeus.
Ele lembra de textos como Joel 2:31: “O sol se converterá em trevas, e a lua em sangue, antes de chegar o grande e terrível dia do SENHOR”, repetido em Atos 2:20. Também aponta para Mateus 24:29-30, quando Jesus diz “o sol escurecerá, e a lua não dará a sua luz. … E então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem” e Lucas 21:11: “haverá também coisas espantosas, e grandes sinais do céu”.
“Deus quer que olhemos para o calendário bíblico, pois ele vai sinalizar sua vinda… precisamos estar atentos às festividades bíblicas, pois são todas proféticas”, afirma Biltz, pastor da igreja El Shaddai em Bonney Lake, Washington. Ao fazer uma análise sobre o fenômeno conhecido como “lua de sangue”, que ocorre quando o Sol fica em frente à Lua no firmamento, Biltz notou que esse tipo de eclipse lunar ocorreria justamente durante as festas bíblicas em 2014 e 2015. O pastor acredita que ao se tratar de sinais na terra, como fomes, pestes e guerras, a humanidade já está acostumada a ouvir falar, mas não ocorrer o mesmo quando são sinais no céu.
Convencido da importância desse fator, o pastor John Hagee fez um estudo aprofundado sobre esses eventos. Este ano, lançou um livro e um DVD com o título “Four Blood Moons: something is about to change” [As 4 luas de sangue: algo está prestes a mudar]. Ele explica que usou as projeções da NASA, relatos históricos e a Bíblia. Para Hagee existe uma conexão direta entre os quatro próximos eclipses lunares (lua de sangue) e “o que eles anunciam para Israel e para toda a humanidade.”
Seu argumento principal é que ao longo dos últimos 500 anos, três luas de sangue ocorreram no primeiro dia da Páscoa. Estas aparições estão ligadas a alguns dos dias mais importantes da história judaica.

Luas de sangue em dias importantes

1492 – o último ano da Inquisição espanhola, quando os judeus foram expulsos da Espanha 1948 – proclamação do Estado de Israel e a Guerra da Independência
1967 – início da guerra dos Seis Dias, quando Israel lutou contra nações árabes e reconquistou Jerusalém como parte de seu território
“Cada corpo celeste é controlada pela mão invisível de Deus, o que sinaliza eventos futuros para a humanidade. Não há acidentes no movimento solar ou lunar”, argumenta Hagee. Para ele é de extrema importância que os cristãos entendam estes sinais proféticos que apontam para a Segunda Vinda de Jesus.
Mais recentemente, o pastor Steve Cioccolanti, da Igreja Discover, na Austrália, produziu um longo vídeo em formato de DVD (também disponível no Youtube) sobre os “Os 8 Supersinais nos céus antes do 70º Aniversário de Israel).
Segundo ele, tudo o que Deus prometeu na Bíblia está relacionado com Israel e o povo judeu. Falando sobre as raízes hebraicas das profecias sobre o fim tempo, ele aponta oito sinais que serão vistos no céu antes do aniversário dos 70 anos da restauração de Israel. Por que o número 70 é importante? Cioccolanti explica: “Porque Israel ficou 70 anos no cativeiro babilônico e demorou 70 anos entre o nascimento de Jesus e a destruição do templo em Jerusalém. Portanto, é algo muito importante o fato de Israel estar prestes a completar 70 anos desde seu renascimento como nação, em 1948.”
Ele faz longas observações tentando explicar os oito sinais, juntamente com algumas observações sobre as datas que eles acontecerão. Para ele a questão é simples, esses sinais provavelmente “nunca mais ocorrerão nessa sequencia” e alerta: “irão começar em breve”. Lembra ainda que no Talmude, livro judeus de Interpretação da lei, ensina “Quando a lua estiver em eclipse, é um mau presságio para Israel. Se a sua face for tão vermelha quanto o sangue, a espada [guerra] está vindo ao mundo”. Para o judaísmo, a Lua é um sinal para Israel, enquanto o Sol é um sinal para os gentios [resto do mundo].

Lua sinal para Israel, Sol para gentios

1 – Cometa Ison (28 de novembro de 2013) – A NASA já divulgou que este ano veremos um cometa com cauda brilhante como a lua cheia.
2 – Lua de Sangue (15 de abril de 2014) – terá início a “Tétrade”, período em que quatro eclipses lunares consecutivos são todos eclipses totais. Prenuncio de uma guerra mundial sangrenta
3- Lua de Sangue (08 de outubro de 2014) – Festa dos Tabernáculos (Sukkot) no calendário de Israel
4- Eclipse Solar Total (20 de março de 2015) – Um sinal para os gentios. Aniversário da provável data em que Moisés tirou os judeus do Egito
5- Lua de Sangue (4 de Abril de 2015) – Festa dos Tabernáculos (Sukkot) no calendário de Israel
6 – Eclipse solar parcial (13 de setembro de 2015) – Festa das trombetas no calendário de Israel e 7 º aniversário desde a última grande queda do mercado
7 – Lua de Sangue (28 de setembro de 2015) – Superlua, que também é um eclipse lunar. A lua nunca esteve tão próxima da Terra. Esse evento ocorrerá durante a Festa dos Tabernáculos (Sukkot).
8- Virgem vestida de Sol (23 setembro de 2017) – 50º aniversário da reconquista de Jerusalém (Jubileu). Brilho extraordinários da constelação de Virgem, cumprimento da Profecia de Apocalipse 12.
Data profética principal: Dia dos 70 anos da Independência de Israel (14 de maio de 2018), marcando o renascimento da nação.
É possível ver o vídeo aqui (em inglês).
Paralelo a isso tudo, entre os judeus há um crença parecida, baseada nas profecias do famoso rabino Judah ben Samuel, um fervoroso estudante do Tanach [Antigo Testamento]. Ele foi o fundador do movimento judaico Hasídico. Ele morreu em 1217, mas deixou escritos com suas conclusões. Para muitos, são profecias sobre os últimos “Jubileus”, períodos proféticos de 50 anos, seguindo o texto de Números 25.
1. Desde a data em que profetizou (1217), passariam 6 jubileus (300 anos) até que viessem tomar a cidade de Jerusalém. De fato, os Turcos Otomanos a conquistaram em 1517.
2. A cidade de Jerusalém estaria sob o domínio [dos Turcos Otomanos] durante 8 Jubileus, ou seja, 400 anos. Considera-se cumprida, pois os Turcos ficaram até 1917, quando foram expulsos pelo exército britânico.
3. A cidade de Jerusalém seria uma “terra de ninguém” pelo espaço de 1 Jubileu (50 anos). A Inglaterra atuou politicamente como “Protetorado” entre 1917 e 1967, pois em junho daquele ano o exército de Israel expulsou os árabes da cidade durante a Guerra dos Seis Dias.
4. Os Judeus dominariam a cidade durante 1 Jubileu (1967 até 2017?), ano que marcaria o Jubileu final, que daria início à Era Messiânica. O Yon Kippur (ano novo) será em 30/9/2017.
Uma vez que 2017 de nosso calendário será o ano 5777 do calendário judaico, muitos acreditam que a união de 3 “setes” aponta para perfeição e plenitude, na cultura judaica. Com informações de WND e Christian Post.
Leia Mais

14/04/14

Heresias do Filme Noé.



O filme além de ser um grande propagador de heresias, possui um enredo horroroso e absolutamente desconexo onde ficção, bobagens e alucinações se fazem presentes.

Diante do exposto elenco sete motivos porque não recomendo o filme Noé:

1-) Porque o filme de Darren Aronofsky fundamenta-se em lendas, ficções e interpretações equivocadas de quem foi Noé.

2-) Porque a história de Nóe narrada pelas Escrituras se contrapoem em muito ao filme hollywoodiano. Um claro exemplo disso é a  história de um grupo de anjos que ajudaram Adão e Eva depois da queda,  desobedecendo a Deus. Ora, essa afirmação além de transloucada é absolutamente antagônica aos ensinos da Palavra de Deus.

3-) Porque o filme apresenta um Deus desprovido de amor, bondade e misericórdia.

4-) Porque o filme apresenta um Noé completamente diferente do narrado pelas Escrituras. O Noé de Aronofsky é obececado, violento e insensível.

5-) Porque o filme  apresenta um péssimo conceito de Deus, onde o Criador não fala, ama ou se relaciona com Noé. Na verdade o filme retrata um deus vingativo, impessoal e cheio de ódio.

6-) Porque o filme induz  os expectadores  ao erro  por ensinar aquilo que jamais a Bíblia ensinou.

7-) Porque o filme é fraco, sem sentido, cansativo monótono e herético.

Agora, para aqueles que dizem que o filme não tem nada demais em ser  visto por não passar de entretenimento e não um "manual de teologia permita-me discordar dizendo:

O filme fala de um personagem bíblico certo? Portanto, o relato deveria ser bíblico correto? Nessa perspectiva se o filme foge daquilo que a Palavra de Deus ensina ele deve ser criticado sim, até porque, ao ser divulgado  por Hollywood vendeu-se uma ideia absolutamente contrária ao que foi visto nas telas. Além disso, como entretenimento, a película é frágil e  de extremamente  mau gosto. 

Leia Mais

12/03/14

Pastor Marcos Pereira será posto em liberdade.

EXCLUSIVO: Pastor Marcos Pereira, condenado a 15 anos de prisão por estupro, será solto após apenas 6 meses de reclusão

Crime foi cometido no final de 2006 contra uma fiel da Assembleia de Deus dos Últimos Dias, liderada pelo acusado. O estupro aconteceu nas dependências da igreja.

Redação Genizah
Marcos está preso desde 8 de maio de 2013. No dia 12 de setembro de 2013, o pastor Marcos foi condenado a 15 anos de prisão pela prática do crime de estupro pelo Tribunal de Justiça do Estado do Rio (TJ-RJ). 

Agora, o pastor Marcos Pereira da Silva pode ser solto a qualquer momento. 

O líder da Assembleia de Deus dos Últimos Dias, que só ficou preso por seis meses, vai cumprir a pena em regime semiaberto.

Em audiência à Justiça, o pastor negou o estupro e acusou pessoas ligadas à ONG AfroReggae de convencer a suposta vítima e outras que foram ouvidas a fazerem as acusações.

A defesa do pastor impetrou um habeas corpus, no início do mês, no STF, em favor do acusado. O relator do caso é o ministro Marco Aurélio, que, em despacho no último dia 13, obrigou que o nome do preso fosse revelado, pois o documento tinha apenas as iniciais dele, sob a alegação do segredo de Justiça.
Segundo o advogado de Marcos Pereira, Willer Tomaz, não há motivos para ele ficar preso. ‘É o direito constitucional de ir e vir dele, a sua liberdade de locomoção está sendo violada’, disse o advogado.

O TJ-RJ relata, "as testemunhas ouvidas descrevem com firmeza como o acusado é uma pessoa manipuladora, fria, só pensa em si, utilizando-se das pessoas para satisfazer seus instintos mais primitivos e de forma promíscua, utiliza da boa-fé das pessoas para enganá-las".

Leia Mais

14/11/13

QUANDO A FAMA DEMAIS NÃO CHEIRA BEM.

Eu queria entender o Thalles Roberto. Sério. Queria muito entendê-lo mesmo. Ele, que no início da sua carreira como cantor evangélico, mostrava estar realmente convertido, hoje demonstra estar preocupado em espalhar sua fama pelo país. Ele tem até loja virtual na internet para vender o CD “mais esperado do Brasil”. E nesse comércio virtual, não faltam opções de produtos gospel. Camisas com o nome do cantor, case para iPhone, pulseira com a frase “Eu escolho Deus”, moletons. Nesse site há uma coleção completa de moda e artigos de culto ao Thalles.
Assim como aconteceu no passado, onde reis que governavam ou que fizeram Israel cativo queriam ser adorados como deuses, Thalles construiu uma idolatria envolta de sua própria imagem. O bezerro de ouro de Thalles é ele mesmo. Posso estar errada, mas a pessoa que faz um boneco próprio tem um grave problema narcisista.
Em sua loja virtual, o senhor Thalles Roberto vende seu boneco Thalleco. Expliquem-me: por que comprar um boneco do Thalles? Ele não deveria ser apenas um cantor que transmite a mensagem do Evangelho por meio da música?
thaleco1
No meio dessa indústria idólatra do gospel, o que mais me entristece é ver pessoas e mais pessoas correndo atrás desse tipo de coisa em vez de se voltar para o Evangelho da Cruz.
Vamos orar para que uma transformação ocorra na Igreja de Cristo no Brasil, para que o país possa se converter de forma legítima e verdadeira. Vamos orar para que nossas igrejas se libertem da escravidão e da idolatria. Vamos orar pelo verdadeiro avivamento e pela verdadeira adoração. Vamos orar pela verdadeira pregação do Evangelho. Vamos orar…
Leia Mais

Seguidores e Blogueiros